Dividendos: O Guia Absolutamente Completo

Tempo de leitura: 15 minutos

Ao investir em ações você está comprando uma pequena porção de uma empresa. E você sabia que, como proprietário dela você também pode receber uma participação de seus lucros? Chama-se de dividendo uma distribuição de uma parcela dos lucros da empresa para seus acionistas.  A maioria das empresas estáveis oferece dividendos para seus acionistas como uma maneira de atrair, recompensar e reter os investidores.

Investir em empresas que pagam dividendos pode ser um método eficaz para a construção de riqueza a longo prazo. Neste artigo eu irei explicar porque as ações de dividendos são ótimos investimentos, como encontrar ações que pagam bons dividendos, e que perigos evitar. Aproveite o conteúdo!

O Que são Dividendos?

O Que são Dividendos?

O Dividendo é o pagamento em dinheiro feito aos acionistas por ação, citado como um valor em reais ou como uma porcentagem do valor de mercado. Os dividendos são normalmente pagos com os lucros da empresa ou com capital acumulado e podem ser distribuídos na forma de dinheiro, ações ou raramente em propriedades. No Brasil, as empresas são obrigadas a pagar no mínimo 25% de seus lucros na forma de dividendos. Para entender porque as empresas pagam dividendos precisamos entender que, basicamente, só existem três coisas que as empresas que obtém lucro podem fazer:

  1. Reinvestir os lucros na expansão da empresa, pagar dívidas e/ou recomprar ações;
  2. Pagar uma parcela dos lucros aos acionistas;
  3. Ambos os anteriores: reinvestir os lucros e pagar uma parcela aos acionistas.

A maioria das empresas opta pela terceira opção, reinvestindo uma parte dos seus lucros e pagando outra parte aos seus acionistas. Quando uma empresa paga uma parcela de seus lucros aos acionistas, ela o faz na forma de dividendos. As empresas geralmente pagam os dividendos em uma base trimestral, semestral ou anual. Algumas empresas de alto crescimento raramente oferecem dividendos, pois todos os seus lucros são reinvestidos para ajudar a sustentar o crescimento da empresa.

O dividendo é a parte que o investidor recebe por cada ação da empresa que ele possui. Por exemplo, se uma empresa paga um dividendo de R$ 0,10 significa que a empresa está pagando dez centavos para cada ação emitida. Cada acionista recebe os dividendos com base no número de ações que possui, logo, se você tiver 10 ações desta empresa você irá receber R$1,00 de dividendos. Além de utilizar um valor em reais para definir o valor do dividendo, como por exemplo, R$5 por ação, ele também pode ser definido como uma porcentagem, como 2,5% do preço da ação, por exemplo.

Juros Sobre Capital Próprio

Além dos Dividendos, a empresa pode decidir distribuir seus lucros através de Juros sobre o Capital Próprio (JSCP). A diferença é que, enquanto os dividendos são isentos de Imposto de Renda, há a cobrança de uma alíquota de 15% sobre os JSCP.

Para as empresas é mais vantajoso distribuir seus lucros através do JSCP, uma vez que esse valor reduz a base de cálculo do Imposto de Renda a ser pago pela empresa. Contudo há um limite máximo que pode ser distribuído através de JSCP. Por isso muitas empresas distribuem uma parte dos seus lucros na forma de dividendos e outra na forma de JSCP.

Para se referir a todos os pagamentos de lucro em conjunto, os dividendos mais os juros sobre capital próprio, é comum utilizar o termo proventos. A partir de agora ao me referir a “dividendos” estarei me referindo aos dividendos e aos juros sobre o capital próprio em conjunto, uma vez que não há diferenças entre eles além do pagamento do IR.

O processo para o pagamento de dividendos envolve várias datas diferentes, o que pode confundir o investidor, como veremos no tópico a seguir.

Como Funciona o Processo

Como Funciona o Processo

O pagamento de dividendos precisa ser aprovado pelo Conselho de Administração da empresa para que possa ser realizado.  As empresas divulgam com antecedência as datas em que serão distribuídos os dividendos, porém cada empresa adota um cronograma diferente. Durante o processo de pagamento de dividendos existem basicamente três datas que devem ser considerados, conforme veremos a seguir.

Data de Anúncio ou Declaração

A data de anúncio é data em que o pagamento dos dividendos é anunciado pelo Conselho de Administração da empresa. Nesta data é feita uma declaração informando a quantia de dividendos que será paga, a data de ex-dividendos e a data de pagamento (veja abaixo).

Data Ex-Dividendos

Quando a empresa anuncia o pagamento dos dividendos, ela anuncia também a data a partir da qual as ações compradas não terão mais direito de receber os dividendos. Por exemplo, suponha que uma empresa anuncie do pagamento de R$1 de dividendos por ação e que as ações compradas a partir do dia 17 de setembro não terão mais direito a receber os dividendos, ou seja, a ação passará a ser negociada como “ex-dividendo” a partir daquela data. Então, se no dia 16 de setembro a ação fechou cotada à R$10, no dia 17 ela estará cotada a apenas R$9 na abertura do pregão, pois foram descontados os pagamentos de dividendos do preço da ação. Isso serve para manter a neutralidade do patrimônio do investidor. Se no dia 16 ele tinha 100 ações ele poderia vendê-las por R$1000. Já no dia 17 ele poderia vender as ações por apenas R$900, porém irá receber R$100 referente ao pagamento dos dividendos.

Data de Pagamento

É a data em que ocorre o pagamento dos dividendos de fato que são depositados na conta bancária do investidor.

Além de serem úteis para os acionistas, os dividendos são também um atestado da saúde financeira das empresas, como veremos no próximo tópico.

Porque Dividendos Importam

Porque Dividendos Importam

Investidores inteligentes focam-se em comprar ações que conseguem controlar, ou seja, ações que pagam dividendos de forma confiável. Enquanto que os preços das ações são voláteis, os pagamentos de dividendos variam muito menos. Ao focar-se na renda que você recebe das suas ações, em vez do preço delas, você pode minimizar a ansiedade provocada pela queda nos preços das ações e continuar a receber seus dividendos tranquilamente.

Empresas pagadoras dividendos são como árvores frutíferas: conforme elas crescem elas produzem frutas (dividendos). Você pode então plantar a semente da fruta para que mais árvores cresçam (reinvestir os dividendos) ou comer a fruta (utilizar a renda dos dividendos). Continuando com a metáfora da árvore, segue a citação de Warren Buffett sobre a importância de pensar nos investimentos a longo prazo:

Alguém está sentado na sombra hoje porque alguém plantou uma árvore há muito tempo.

Warren Buffett

A primeira vista parece óbvio que é um bom negócio comprar ações que pagam dividendos, porém existem alguns problemas que precisamos considerar. Primeiro, as empresas podem mudar a sua política de dividendos. É normal que muitas empresas paguem dividendos a cada três meses, mas às vezes elas decidem cortar um pagamento ou até mesmo eliminá-los completamente. Embora os acionistas possam ficar um pouco irritados com isso, é um critério da empresa escolher a quantia que quer pagar em dividendos.

Empresas que não pagam dividendos podem estar com problemas para sobreviver, o que é claro aponta para outro risco: as empresas não vivem para sempre. Por mais que as empresas paguem dividendos por muito tempo, uma hora seus lucros podem decair e não haverá mais o pagamento de dividendos. Portanto, não basta avaliar apenas o histórico de pagamento de dividendos, mas a empresa como um todo.

Para começar a avaliar a qualidade das empresas pagadoras de dividendos vamos começar conhecendo os dois principais índices utilizados para medir o pagamento de dividendos de uma empresa.

Índices para Avaliar o Pagamento de Dividendos

Índices para Avaliar o Pagamento de Dividendos

Quando queremos avaliar o quão boa pagadora de dividendos uma empresa é, existem dois índices que costumam ser utilizados, o Dividend Yeld e o Dividend Payout. A seguir falaremos sobre cada um deles.

Dividend Yeld

O Dividend Yeld é simplesmente a relação financeira que demonstra o quanto a empresa paga em dividendos a cada ano em relação ao preço de suas ações. O Dividend Yeld por ser calculado da seguinte forma:

Dividend Yeld = (Dividendos + JSCP por Ação (ult. 12 meses) / Preço Atual da Ação) * 100

O Dividend Yeld demonstra ao investidor quanto de dividendos ele está ganhando em uma única ação baseando-se na sua cotação atual. Dessa forma, pode-se avaliar quanto que a ação rendeu de dividendos, em termos relativos, para seus acionistas. Se uma empresa pagou dividendos de R$ 2 no ano e está cotada à R$100, por exemplo, ela terá um Dividend Yeld de 2%, pois rendeu 2% do preço da ação para seus acionistas naquele ano.

Por utilizar-se do preço atual da ação, o Dividend Yeld pode ser distorcido de diversas formas, como fortes valorizações ou quedas acentuadas no preço das ações. Ou seja, se o preço da ação subir, o Dividend Yeld dela cai, e vice-versa.  Existe, porém, um outro índice que pode ser utilizado para avaliar as ações, que é o Dividend Payout.

Dividend Payout

A porcentagem do lucro líquido que é pago na forma de dividendos é conhecida como relação de Dividend Payout. Ou seja, esse índice define a porcentagem dos lucros da empresa que são pagos aos seus acionistas. Para calcular o Dividend Payout de uma empresa você pode utilizar a seguinte fórmula:

Dividend Payout = (Dividendos + JSCP por Ação (ult. 12 meses) / Lucro por Ação) * 100

Se uma empresa tiver um LPA (Lucro por Ação) de R$10 nos últimos 12 meses e tiver pago R$4 de dividendos neste mesmo período, por exemplo, ela terá um Dividend Payout de 40%. Isso significa que ela irá distribuiu aos seus acionistas 40% dos lucros obtidos neste período, com o restante ficando retido para outros fins. Em razão das normas brasileiras, já explicadas, esse valor deve ficar em geral acima de 25% para as empresas que tiveram lucro líquido.

Uma vez explicada a diferença entre estes dois índices vejamos como você pode fazer para selecionar ações que são boas pagadoras de dividendos.



FIQUE ATUALIZADO!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

Como Selecionar Ações de Dividendos

Como Selecionar Ações de Dividendos

Existem uma série de critérios que você deve levar em conta na hora de escolher suas ações caso seu objetivo seja receber dividendos no longo prazo. Muitas pessoas olham simplesmente para as empresas que tem pago mais dividendos nos últimos 12 meses, por exemplo. Porém, o pagamento passado não é garantia da continuidade do pagamento no futuro, como já mencionado anteriormente. A seguir estão enumerados os principais critérios que você deve levar em conta para escolher suas ações de dividendos.

Critério # 1 – Dividend Yeld

Invista em empresas que pagam uma quantia razoável de dividendos. Você deve começar filtrando ações que tem um Dividend Yeld atual maior ou igual que 2%.

 Critério # 2 – Dividend Payout

Se uma empresa pagar todos os lucros como dividendos ela não tem nenhuma margem de segurança e durante uma recessão terá que diminuir os pagamentos. Para garantir que os dividendos não serão cortados, procure empresas com um Dividend Payout baixo, entre aquelas que tem um Dividend Yeld elevado. Uma fez filtradas as ações com Dividend Yeld maior ou igual à 2%, procure nesta lista ações que tem um Dividend Payout inferior à 70%.

Critério #3 – Preço/Lucro

Uma vez aplicados os critérios anteriores você deve buscar ações que tem preferencialmente uma relação de Preço dividido pelo LPA (Lucro por Ação) inferior à 30. Esse critério impede que você pague mais por uma ação do que ela vale, selecionando apenas ações corretamente valorizadas.

Critério #4 – Crescimento dos Dividendos

Invista em empresas que tem um histórico sólido de crescimento. Se uma empresa tem mantido uma taxa de crescimento constante durante vários anos é provável que continue a fazê-lo. Procure empresas que tiveram um aumento no pagamento dos dividendos nos últimos 10 anos de pelo menos 6%.

Critério #5 – Pagamento Ininterrupto de Dividendos

Algumas empresas pagam dividendos há muito mais tempo do que outras. Você deve preferir empresas que tem um histórico de longo prazo de pagamento de dividendos. Apesar dos pagamentos passados não serem garantia de continuidade, uma empresa que paga dividendos há apenas 2 anos consecutivos irá justificar muito mais facilmente um corte nos dividendos do que uma empresa que paga dividendos já a 20 anos. Prefira investir apenas em empresas que pagaram algum dividendo em cada um dos últimos 10 anos, no mínimo.

Além desses critérios, outros fatores que você deve levar em conta na escolha das ações são:

  • Investir em empresas grandes também reduz o risco de haver um corte no pagamento dos dividendos.
  • É preciso diversificar de modo a reduzir o risco de perder a sua renda se uma única empresa parar de pagar os dividendos.
  • Outros critérios para avaliar a saúde financeira da empresa também devem ser aplicados. Dê uma olhada nos artigos sobre value investing para saber mais.

Essa forma de analisar as empresas é, obviamente, uma sugestão utilizando os princípios do value investing. Obviamente existem outras formas de selecionar ações de dividendos para outros objetivos. Quantas ações passam em todos os critérios enumerados acima? Confira isso no próximo tópico.

Estudo de Caso

Aplicando os critérios acima expostos a todas as ações que foram negociadas na Bovespa nos últimos 2 meses foi possível chegar aos seguintes resultados para os quatro primeiros critérios:

  1. Dividend Yeld: Foram encontradas 198 empresas com um Dividend Yeld igual ou maior à 2%.
  2. Dividend Payout: Foram encontradas 235 empresas com um Dividend Payout inferior à 70%.
  3. P/L: Foram encontradas 171 empresas com um Preço por Lucro positivo e inferior à 30.
  4. Crescimento dos Dividendos: Foram encontradas 198 empresas que aumentaram seus dividendos em pelo menos 6% nos últimos 10 anos.

Aplicando todos os critérios acima restaram apenas 44 empresas que atenderam a todos estes quatro critérios. Analisando o número de anos das dez primeiras empresas listadas, apenas 1 delas não pagou dividendos ininterruptamente por pelo menos 10 anos. Supondo que essa porcentagem se mantenha constante no restante da lista, apenas 4 empresas não passariam nesse critério. Dessa forma, supõem-se que 40 empresas passariam em todos os critérios.

Considero que esse número é suficiente para fornecer uma gama ampla de escolhas e montar uma carteira diversificada. Se você montar uma carteira seguindo esses critérios deverá receber pagamentos de dividendos constantemente. Porém, uma hora talvez terá que se livrar delas, como veremos a seguir.

Quando Vender as Ações

Considerando que você aplicou os critérios acima para a seleção de ações, existem dois cenários em que você deve vendê-las:

  1. Quando o índice P/L for maior que 40. Se alguém lhe oferecer R$500.000 por uma casa que vale R$250.000, você naturalmente irá vendê-la sem pestanejar. A mesma coisa deve acontecer com as ações. Se você puder vender uma ação por muito mais do que ela vale, você deve vendê-la e reinvestir o dinheiro em outras empresas.
  2. Quando os pagamentos de dividendos forem reduzidos ou eliminados. Se uma empresa reduzir seus pagamentos de dividendos, você está recebendo menor em vez de mais, sendo que deveria acontecer o oposto.

Conclusão

Montar uma carteira para receber dividendos não é apenas viável, mas também uma ótima maneira de receber uma renda passiva constantemente. Os critérios aqui apresentados obviamente não são a única forma de selecionar ações de dividendos, e talvez nem a que lhe dará o maior retorno no curto prazo. Porém no longo prazo utilizando esses critérios você tem grandes chances de receber dividendos de maneira constante e crescente ao longo dos anos.

Espero que tenha gostado do artigo, e se ficou com alguma dúvida é só perguntar aqui embaixo. Estou aguardando seus comentários.

ATENÇÃO: ISTO NÃO É UMA RECOMENDAÇÃO DE COMPRA



FIQUE ATUALIZADO!

Insira o seu endereço de email abaixo para receber gratuitamente as atualizações do blog!>

(crédito das imagens: shutterstock.com)

  • Yuri

    Claro e objetivo. Bom artigo.

  • Rafael

    Muito bom o artigo, somente fiquei com dúvida numa frase do tópico Dividend Yeld:
    “Ou seja, se o preço da ação subir, o Dividend Yeld dela também sobe, e vice-versa.”
    Não seria se o preço da ação subir, o Dividend Yeld cai?

    • Você está certo Rafael, obrigado pela correção!

  • Paulo Ricardo

    Olá, como posso fazer um “calculo” desses critérios?

    • Olá Paulo Ricardo, dê uma olhada nos artigos sobre value investing em que ensino como encontrar os dados para calcular os critérios.

  • Eduardo Henrique Ferreira

    Quais são as 40 empresas que passaria pelos critérios?

    • Olá Eduardo,
      40 empresas passaram nos critérios quando eu fiz o estudo, contudo, elas podem não passar nestes critérios hoje, por isso não posso divulgar esta lista.

  • É possível gerar renda sim com dividendos, mas é bom diversificar porque não existe garantia de que uma empresa irá ou não pagar dividendos.

  • ricardo_makiyama

    Uma dúvida, em uma situação de inflação de 0,43%/mês, os dividendos pagos por anos/12 teriam em tese que ser superiores a isso, esta linha de raciocínio está correta?

    • Exatamente, caso contrário você não estará obtendo uma rentabilidade real positiva.

  • Carlos Henrique Coutinho Fonsê

    existe algum programa de trades que tem esses topicos para filtragem automaticamente? vcs recomendam algum?

  • Carlos Henrique Coutinho Fonsê

    Existe algum programa que possamos usar tais critérios para filtrar? qual vcs recomendam?

  • Paulo Rossi

    de todos os sites que procurei sobre a estratégia Buy and Hold, o seu foi com a melhor explicação. Parabéns.

  • Wesley Carvalho Pereira

    Diogo boa tarde, gostaria de saber se eu tiver 10.000 ações X, já há uns 10 anos, e quem obter hj por exemplo a mesma quantidade de ações, este irá receber os mesmo proventos que eu? ou seja, mesmo que eu tenha mais tempo estas ações?
    Parabéns pelo post, claro e objetivo.

    • Olá Wesley,
      Neste caso quem comprar as ações hoje irá receber os mesmos proventos FUTUROS, mas não irá receber os que você já recebeu ao longo destes 10 anos.

      • Wesley Carvalho Pereira

        Ok, obrigado

  • Herbert Souto

    Conteúdo excelente, muito claro e completo, sensacional, parabéns Diogo!

  • Poletto

    Olá!
    Parabéns pela forma simples e explicativa em que o conteúdo foi abordado…

    Onde encontro o histórico de LPA das empresas de pelo menos dos últimos 10 anos?