5 Resoluções de Ano Novo para Melhorar seus Investimentos em 2017

Tempo de leitura: 5 minutos

A chegada do ano novo é uma ótima oportunidade para repensar seus investimentos e planejar suas metas para o próximo ano. Para ajudá-lo nessa tarefa trago cinco sugestões de resoluções para você cumprir agora e durante o próximo ano. São cinco dicas simples, mas que acredito que são exatamente o que você precisa agora.

Resolução 1: Aumente seus Aportes

Resolução 1: Aumente seus Aportes

Nada que você fizer var ter um impacto maior sobre seus investimentos do que aumentar o valor dos seus aportes. Por melhor que seja a rentabilidade que você consegue obter, um pequeno aumento nas suas aplicações terá um efeito enorme no aumento do seu patrimônio no longo prazo, graças ao poder dos juros compostos ao longo do tempo.

É claro que é importante pensar em como investir seu dinheiro, contudo, isso não tem nem de perto o impacto que você terá simplesmente poupando mais dinheiro. Então que tal aumentar seus aportes em 2017?

Você pode conseguir isso através de pequenas mudanças. Simplesmente aumente seus aportes em 5% agora e então aumente mais 5% a cada três ou seis meses. Tente fazer isso de forma consistente e você verá seu patrimônio “decolar”.

Resolução 2: Corte Custos

Os seus custos com investimentos são outro ponto que terão um grande impacto no longo prazo. Pesquisas já mostraram que quanto menores são os custos, maior é a probabilidade de obter uma rentabilidade acima da média. Pense da seguinte forma: para cada R$1 a menos que você pagar em taxas você terá mais R$1 que irá lhe gerar retorno, por tempo indeterminado.

Então essa é uma boa hora para verificar quanto você está pagando pelos seus investimentos e cortar custos se possível. Fique atento se você paga:

  • Qualquer valor em de taxa de administração no Tesouro Direto (há várias corretoras que não cobram essa taxa);
  • Mais de 0,50% ao ano em taxa de administração de fundos de investimento de renda fixa ou passivos;
  • Mais de 2% ao ano em taxa de administração de fundos de investimento em ações ou multimercados;
  • Valores altos de corretagem (veja os menores valores do mercado no nosso Guia de Corretoras);
  • Taxas de transferências bancárias como DOC e TED (nas chamadas “contas digitais” não há cobrança dessas taxas).

Resolução 3: Faça da Alocação de Ativos uma Prioridade

Faça da Alocação de Ativos uma Prioridade

Uma boa estratégia de investimento não deve incorrer em um risco superior a quantia que você está disposto a perder. Isso significa que você deve encontrar um equilíbrio ao investir em produtos de alto risco-retorno, como em ações, e de baixo risco-retorno, como renda fixa. Esse equilíbrio é o que nós chamamos de alocação de ativos.

Estudos já mostraram que a forma como você divide seus ativos em diferentes classes determina 90% dos seus retornos, sendo este, portanto, um dos conceitos mais importantes de investimento que você pode aprender. Essa é uma boa hora para você rever sua alocação de ativos. Para saber mais sobre como definir sua alocação de ativos veja este post.

Resolução 4: Rebalanceie

Com o passar do tempo a sua alocação de ativos irá se desviar daquela que você planejou inicialmente. Digamos, por exemplo, que você tenha alocado 50% do seu dinheiro em ações e 50% em títulos. Suponhamos que as ações tiveram uma rentabilidade maior do que os títulos ao longo de um ano. Assim, no final do ano você terá 70% dos seus ativos em ações e 30% em títulos, visto que os títulos se desvalorizaram em relação as ações. Então é preciso rebalancear.

Rebalancear é o processo de colocar seus investimentos de volta à alocação de ativos inicial. Você pode fazer isso vendendo os ativos que se sobrevalorizaram e usar esse dinheiro para comprar os que se desvalorizaram. Ou você pode passar a aportar mais dinheiro nos investimentos que se desvalorizaram, de modo a obter o reequilíbrio. Para saber mais sobre como fazer um rebalanceamento, sugiro que veja este artigo que escrevi sobre o tema.

Resolução 5: Entenda a Diferença entre Preço e Valor

Entenda a Diferença entre Preço e Valor

Para ser um investidor de sucesso você precisa entender a diferença que existe entre preço e valor. Há duas citações que explicam essa diferença de forma simples. A primeira de Warren Buffett, que disse: “Preço é o que você paga. Valor é o que você recebe”; a segunda é de Phillip Fisher que diz que “O mercado de ações está cheio de indivíduos que sabem o preço de tudo, mas o valor de nada”.

Quando você investe você deve ter pelo menos uma estimativa do valor intrínseco do investimento. Em outras palavras, você nunca deve investir se o preço for superior ao valor. Para uma introdução sobre o tema recomendo que você leia o artigo sobre value investing que escrevi. Recomendo também que se aprofunde nos estudos sobre esse tema ao longo deste ano.

Conclusão

Com essas cinco dicas espero que você consiga melhorar seus investimentos durante o ano que está chegando e consiga eliminar os maus hábito que podem estar te impedido de alcançar seus objetivos financeiros.

Abraços e um feliz 2017 para você!

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Talvez você também se interesse…


EBOOK OS 7 PASSOS FUNDAMENTAIS PARA SE TORNAR UM INVESTIDOR DE SUCESSO

NESSE E-BOOK VOCÊ VAI APRENDER:

  • COMO ORGANIZAR SUAS FINANÇAS PARA COMEÇAR SUA JORNADA DE INVESTIDOR
  • COMO É POSSÍVEL COMEÇAR A INVESTIR COM APENAS R$ 30 POR MÊS
  • QUAIS OS 3 ASPECTOS A CONSIDERAR NA HORA DE ESCOLHER UMA CORRETORA

Baixar GRÁTIS