Qual é a diferença entre Renda Fixa e Renda Variável?

Tempo de leitura: 3 minutos

renda fixa e variável

Uma dúvida comum dos investidores iniciantes é diferença entre a renda fixa e a renda variável. Os investimentos costumam ser divididos nesses dois grandes grupos. Neste artigo veremos a diferença entre esses dois grupos e exemplos de investimentos para cada um deles.

Renda Fixa

É o tipo de investimento cuja remuneração ou sua forma de cálculo é conhecida no momento da aplicação. Os investimentos de renda fixa são, portanto, menos arriscados e recomendados para os investidores de perfil conservador.

Em geral os ativos de renda fixa são títulos de dívida, isto é, o investidor empresta o dinheiro a um emissor, ganhando o direito de receber em uma data determinada o capital investido acrescido de juros.

Entretanto, os investimentos de renda fixa não são imunes a riscos. Existe a possibilidade do emissor do título não cumprir com a obrigação assumida, ou seja, dar um calote. Felizmente isso é algo muito raro de acontecer. Alguns investimentos como a poupança, o CDB, LCI e LCA contam com a cobertura do Fundo Garantidor de Crédito (FGC), que garante que o investidor receba seu dinheiro mesmo no caso da falência do banco emissor.

São investimentos dessa categoria:

  • Caderneta de Poupança
  • Títulos Públicos
  • Debêntures
  • Certificados de Depósito Bancário (CDB)
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI)
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA)
  • Fundos de Renda Fixa
  • Fundos DI

Os ativos de renda fixa podem ainda ser subclassificados em dois outros grupos:

Pré-Fixados: o investimento pré-fixado é aquele em que já se sabe de antemão a rentabilidade exata do título. Por exemplo, cada título de Tesouro Prefixado (antiga LTN) negociado no Tesouro Direto valerá R$1000 na data de vencimento. Então se você comprá-lo hoje por R$800, já saberá que ele irá valer R$1000 na data de vencimento.

Pós-Fixados: nos investimentos pós-fixados não se sabe a rentabilidade do título, apenas a forma de cálculo da rentabilidade. Os títulos pós-fixados estão atrelados a algum índice que pode ou não sofrer oscilações. Por exemplo, o Tesouro Selic (antiga LFT) também negociado no Tesouro Direto está atrelado a taxa Selic, a taxa básica de juros da economia. Ou seja, a rentabilidade desse título varia de acordo com a taxa Selic.

Renda Variável

É o tipo de investimento cuja remuneração ou sua forma de cálculo não é conhecida no momento da aplicação. Os investimentos de renda variável são, portanto, mais arriscados e recomendados para investidor de perfil dinâmico.

O investimento no mercado de ações é a forma mais conhecida de renda variável. Os preços das ações estão sofrem constantes variações refletindo os interessantes distintos dos agentes do mercado.

Diferente da renda fixa, onde o investidor não perde o capital investido inicialmente, mesmo havendo o risco dos juros serem muito baixos, na renda variável os juros podem ser negativos, ou seja, o investidor pode perder parte do capital inicialmente investido.

Apesar de possuir maior risco, o investimento na renda variável permite retornos muito maiores do que os da renda fixa.

São investimentos dessa categoria:

  • Ações
  • Derivativos
  • Câmbio
  • Fundos de Ações

É isso aí. Espero que tenha esclarecido suas dúvidas em relação a diferença entre renda fixa e renda variável.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

Talvez você também se interesse…


EBOOK OS 7 PASSOS FUNDAMENTAIS PARA SE TORNAR UM INVESTIDOR DE SUCESSO

NESSE E-BOOK VOCÊ VAI APRENDER:

  • COMO ORGANIZAR SUAS FINANÇAS PARA COMEÇAR SUA JORNADA DE INVESTIDOR
  • COMO É POSSÍVEL COMEÇAR A INVESTIR COM APENAS R$ 30 POR MÊS
  • QUAIS OS 3 ASPECTOS A CONSIDERAR NA HORA DE ESCOLHER UMA CORRETORA

Baixar GRÁTIS