Como Investir em Ações com Fundos de Índice

Tempo de leitura: 7 minutos

Há uma série de formas de investir no mercado de ações, mas a minha favorita é nos chamados Fundos de Índice. Os Fundos de Índice ou ETF (Exchange Traded Funds), são simplesmente fundos de investimento negociados diretamente na Bolsa de Valores. O ETF busca imitar determinado índice do mercado. Isso significa que ao investir em um ETF você está investindo, ao mesmo tempo, em uma carteira de ações de diferentes empresas, mas por uma fração do custo que você teria ao investir individualmente em cada empresa. É uma forma muito barata e fácil de diversificação, que costuma produzir resultados superiores a grande maioria das ações individuais.

Eles são divididos em cotas que são negociadas na Bolsa da mesma forma que as ações. Assim como nos fundos de investimento eles devem ser regidos por um regulamento. O investidor que optar por esta abordagem escolhe quais os mercados que quer investir, quanto do seu dinheiro alocar em cada um deles, e usa os fundos de índices para por este plano em prática. Essa é, sem dúvidas, a melhor forma de investimento para iniciantes na Bolsa, pois proporciona retornos garantidos no longo prazo e rende bem mais que a renda fixa.

Vejamos como foi o rendimento de algumas ações blue-chips nos últimos doze meses:

PETR4: -27,8%

VALE5: -37,1%

BVMF3: -1,3%

Vejamos o a seguir como foi desempenho dos três ETFs mais negociados na Bolsa no mesmo período:

BOVA11: +8%

PIBB11: +9,5%

DIVO11: -13,7%

Nesse caso, um investidor que tivesse investido nas três blue chips em igual proporção teria um retorno de -66,2% depois de um ano. O investidor em ETF, por outro lado, teria um retorno de +3,8%.

Quais são os Fundos de Índice?

Atualmente existem 18 ETFs listados na BM&FBovespa, conforme a tabela a seguir.

Código Nome do ETF Gestor Taxa Adm.
BBSD11 BB ETF S&P Dividendos Brasil BB Gestão de Recursos 0,50% a.a.
XBOV11 CAIXA ETF Ibovespa Caixa Econômica Federal 0,50% a.a.
BOVA11 iShares Ibovespa BlackRock Brasil 0,54% a.a.
BRAX11 iShares IBrX – Índice Brasil (IBrX-100) BlackRock Brasil 0,20% a.a.
CSMO11 iShares Índice BM&FBOVESPA de Consumo BlackRock Brasil 0,69% a.a.
ECOO11 iShares Índice Carbono Eficiente (ICO2) Brasil BlackRock Brasil 0,38% a.a.
MILA11 iShares BM&FBOVESPA MidLarge Cap BlackRock Brasil 0,54% a.a.
MOBI11 iShares Índice BM&FBOVESPA Imobiliário BlackRock Brasil 0,69% a.a.
 SMAL11 iShares BM&FBOVESPA Small Cap BlackRock Brasil 0,69% a.a.
UTIP11 iShares Índice de Utilidade Pública (UTIL) BlackRock Brasil 0,69% a.a.
IVVB11 iShares S&P 500 BlackRock Brasil 0,27% a.a.
DIVO11 It Now IDIV Itaú Unibanco S.A. 0,50% a.a.
FIND11 It Now IFNC Itaú Unibanco S.A 0,60% a.a.
GOVE11 It Now IGCT Itaú Unibanco S.A 0,50% a.a.
MATB11 It Now IMAT Itaú Unibanco S.A 0,50% a.a.
ISUS11 It Now ISE Itaú Unibanco S.A 0,40% a.a.
PIBB11 It Now PIBB IBrX-50 Itaú Unibanco S.A 0,059% a.a.
SPXI11 It Now S&P500 TRN Itaú Unibanco S.A 0,27% a.a.

As Vantagens dos Fundos de Índice

As Vantagens dos Fundos de Índice

Com base nas definições acima pode parecer que os investidores de índice estão “presos” ao retorno médio, enquanto investidores mais experientes estão conseguindo retornos muito melhores. Isso não poderia estar mais longe da verdade.

O investimento em ETFs é uma estratégia incrivelmente eficiente. Estudos já mostraram que o investimento em índices supera estratégias similares de investimento ativo entre 80% e 90% das vezes. Isso significa que, na maioria dos casos, é melhor simplesmente obter os retornos do mercado do que tentar superá-lo. Mas como isso pode ser verdade? Como pode uma estratégia tão simples produzir resultados tão positivos? Vamos dar uma olhada nas maiores vantagens de investir em fundos de índice.

Fundos de Índice são de Baixo Custo

1. Fundos de Índice são de Baixo Custo

Uma das razões pelas quais o investimento nos ETFs é tão efetivo é também uma das mais simples: ele é de baixo custo. Os fundos de índice não incluem altos custos de corretagem, taxas, e outras despesas que são necessárias nas estratégias de investimento ativo. As taxas de administração são normalmente de menos de 1%, enquanto fundos de investimento em ações podem cobrar até 4% de taxas de administração.

Além disso o capital necessário para investir em ETF é muito menor do que numa estratégia de investimento ativo, em que é preciso comprar várias ações, ou em fundos de investimentos, que exigem aportes iniciais de dez mil reais. O investimento nos ETFs requer um trabalho simples: acompanhar o mercado. Essa simplicidade mantém os custos baixos, e esses baixos custos são repassados para você na forma de retornos mais elevados.

Lembre-se, porém, que os fundos de índice estão sujeitos à cobrança das taxas de corretagem, de custódia e dos emolumentos pagos à Bolsa, assim como outros ativos de renda variável. Portanto, analise se as taxas não serão maiores do que as de um fundo passivo comum. Quanto maior o valor aplicado, mais vale a pena investir nos fundos de índice, pois o volume é capaz de diluir os custos com corretagem e custódia, restando pouco impacto sobre a rentabilidade. Se o valor de aplicação for baixo ou se a frequência dos aportes for alta o fundo passivo comum pode ser a melhor alternativa.

Fundos de Índice são Diversificados

2. Fundos de Índice são Diversificados

A diversificação é uma daquelas palavras mágicas quando se fala de investimentos. Mas tudo que ela realmente significa é que você deve espalhar seu dinheiro em diferentes tipos de investimentos, em vez de colocar todos os ovos na mesma cesta. A diversificação é a única maneira de diminuir o risco de investimento sem diminuir o seu retorno esperado. Como os fundos de índice investem em mercados inteiros eles são uma ótima maneira de diversificação. Para uma carteira estar bem diversificada ela precisaria ter no mínimo 15 ações individuais. Por outro lado, ao comprar um ETF a carteira já está bem diversificada pois você está investindo em mais de 60 ações de uma só vez.

Fundos de Índice são Consistentes

3. Fundos de Índice são Consistentes

Cumprir o plano de investimentos é uma das virtudes mais importantes que você pode ter como investidor. À medida que os mercados se movem para cima e para baixo, sempre haverá pessoas consumidas pelo medo ou pela ganância. Mas a compra e venda com base nessas emoções normalmente não acaba bem. Em vez disso, os melhores investidores se atêm ao seu plano, não importando o que está acontecendo ao seu redor.

O investimento em fundos de índice torna relativamente fácil manter essa consistência. Tudo que você precisa fazer é escolher alguns fundos diferentes para investir e não fazer mais nada. Os fundos de índice vão continuar rastreando os mesmos mercados, por isso não há risco de que um gestor decida fazer algo diferente que irá arruinar seu plano de investimento.

Dividendos são Reinvestidos Automaticamente

4. Dividendos são Reinvestidos Automaticamente

Ao comprar ações individuais você recebe os dividendos para cada ação e precisa reinvesti-los manualmente. Nesse caso, também é preciso acumular um certo valor para que compense pagar as taxas de corretagem. Já nos ETF os dividendos são reinvestidos automaticamente. Você não precisa realizar nenhum esforço, e ainda ganha tempo e economiza com os custos de corretagem.


Apesar de todas as vantagens dos fundos de índice, eles também não são perfeitos. Entre as suas desvantagens está o fato de que existem poucos fundos de índice no mercado brasileiro. Se no mercado americano os ETFs representam mais de 25% do volume transacionado na Bolsa, no Brasil esse volume não passa de 1%. A segunda desvantagem que é a baixa liquidez dos ETF, decorrente justamente dessa falta de popularidade dos fundos no Brasil. Dessa forma, o ETF muitas vezes precisará ser comprado por um valor superior ao seu valor real e vendido por um valor inferior. Outra desvantagem é que é preciso comprar no mínimo 10 cotas de cada ETF por vez. Então para comprar um fundo de índice que custa R$50, por exemplo, é preciso desembolsar pelo menos R$500.

Conclusão

Enfim, como vimos os fundos de índice têm suas vantagens e desvantagens. São uma excelente opção para o investidor que busca seguir os conceitos da alocação de ativos ou realizar investimento passivo de forma consistente, diversificada e de baixo custo.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

  • Diogo

    Caro Diogo, bom artigo. Salvo engano, é possível comprar ETFs no mercado fracionário, embora não se tenha tanta liquidez.

  • Bruno

    Prezado Diogo, boa noite. Descobri seu blog recentemente e estou achando muito didático e esclarecedor. Fiquei com uma dúvida ao ler o seu texto: no início vc disse que o investimento em ETF rende bem mais que renda fixa. Citou o desempenho das três ETFs mais comercializadas com os respectivos retornos anuais de 8%, 9,5% e -13,7. Contudo as corretoras oferecem diversos títulos de renda fixa com ganhos muito superiores aos da ETFs que vc citou. Inclusive o tesouro direto tem atualmente remunerado algo em torno de 16% bruto. Assim, não entendi a sua afirmativa de que as ETF rendem mais que renda fixa.
    Obrigado

    • Olá Bruno!
      O quero dizer é que eles tendem a render mais do que a renda fixa. Os títulos de renda fixa estão sim rendendo mais devido aos altos juros, mas na longo prazo o resultado costuma ser melhores para os ETFs.
      Atenciosamente, Diogo Pereira