Qual o Valor Mínimo para Investir em Ações?

Tempo de leitura: 9 minutos

Muitas pessoas acham que é preciso ter muito dinheiro para investir na bolsa de valores. Já outras dizem que não existe um valor mínimo, mas será que é verdade? Sim, é fato que não existe nenhum valor mínimo pré-determinado para investir, mas a pergunta que você tem que fazer é: qual o valor mínimo que para valer a pena investir em ações? É exatamente esta pergunta que eu respondo neste artigo.

Para o pequeno investidor as taxas podem diminuir sua rentabilidade substancialmente. As corretoras parecem que querem esconder essas taxas, e por um bom motivo. Se você não sabe, as corretoras ganham dinheiro toda vez que você compra ou vende ações, independentemente se você ganha ou perde dinheiro. Para elas, portanto, tanto faz se você está ganhando ou perdendo dinheiro.

Perceba que existe um enorme conflito de interesse nessas atividades pois, o que é bom para eles não é necessariamente bom para você. É muito comum que as corretoras incentivem o investimento de curto prazo, pois assim elas irão arrecadar mais. Mas melhor forma de obter retornos consistentes no longo prazo é através de uma estratégia sólida de investimentos.

Ao longo dos próximos parágrafos eu mostro qual é o valor mínimo necessário para investir em ações sem ter sua rentabilidade afetada, seguindo os princípios do investimento passivo. Aproveite o conteúdo.

Os Custos Para Investir

Os Custos Para Investir

Um erro comum de muitos investidores é pagar taxas muito altas para investir. Se não houvessem taxas, valeria a pena investir na bolsa com apenas R$10. Logo, são as taxas que tornam inviável o investimento na bolsa de valores com pouco dinheiro, pois podem destruir completamente a rentabilidade do investimento.

Para conhecer as taxas cobradas no investimento na bolsa de valores, que são a taxa de corretagem e de custódia, e encontrar as corretoras mais baratas para investir na bolsa dê uma olhada neste infográfico de melhores corretoras publicado aqui no site.

Além dessas duas taxas existe outro custo que é muito comumente ignorado pelos investidores, que é o custo para transferir os recursos para a corretora. Se a transferência ocorrer por DOC ou TED o banco poderá cobrar uma taxa pela transferência, caso a mesma não esteja incluída na cesta de serviços.

Conhecer as taxas e procurar arduamente pelas menores taxas disponíveis é essencial para um pequeno investidor. Neste caso cada centavo faz diferença. Outro ponto importante é quanto ao lote-padrão da bolsa de valores, sobre o qual falarei no próximo tópico.

O Lote-Padrão

A ações na bolsa de valores são negociadas em lotes, que são quantidades mínimas de ações que devem ser negociadas em conjunto. Geralmente o lote mínimo é de 100 ações e seus múltiplos, tais como 200, 300, 400, 500, etc. Dessa forma, se você quiser investir em uma empresa cujas ações estão com o preço de R$12, por exemplo, terá que desembolsar no mínimo R$1200.

Estes lotes são chamados de lotes-padrão, e é através dele que a maioria das negociações da bolsa ocorrem. Isso é um empecilho para os pequenos investidores pois dependendo da quantia disponível não é possível comprar as ações de determinadas empresas. Já a diversificação se torna praticamente impossível de ser realizada numa estratégia de aportes mensais.

Felizmente existe uma solução muito eficaz para contornar esse problema: os fundos de índice. Os fundos de índice são uma espécie de fundos de investimentos negociados diretamente na bolsa de valores, de modo que são, por si só bastante diversificados. Além disso, eles são vendidos em lotes-padrão de 10 ações. Ou seja, eles resolvem os dois problemas que temos em comprar ações de empresas: o alto custo do lote-padrão e a falta de diversificação.

Para o pequeno investidor essa é a melhor opção, pois permite a compra dos lotes-padrão de apenas 10 ações e ainda permitem uma alta diversificação mesmo comprando apenas um ativo. Dito isso, vejamos qual é o valor mínimo para investir em ações comprando fundos de índice.

O Valor Mínimo para Investir em Ações

O Valor Mínimo

Uma vez esclarecidos os custos para se investir e o funcionamento do mercado padrão, está na hora de você se perguntar quanto está disposto a perder. Sim, porque os custos que você terá para investir vão “comer” uma parte da sua rentabilidade.

Você precisa definir quanto dessa rentabilidade quer perder e então calcular um valor mínimo para investir, de acordo com as taxas da sua corretora. Costumo adotar a regra de que as taxas não podem ser superiores a 1% do valor investido. Alguns investidores ainda são mais conservadores e utilizam 0,5%. Por exemplo, se a taxa de corretagem for de R$10, você precisa ter no mínimo R$2000 para realizar uma operação de compra.

Este valor, de 1%, é totalmente arbitrário, sendo que utilizo pessoalmente para meus investimentos. Você pode é claro, adotar outro valor se estiver disposto a ter uma rentabilidade maior. Mas, se você utilizar um valor de 4%, por exemplo, provavelmente seria mais vantajoso procurar outras opções de investimentos.

A seguir vejamos alguns casos de investimento mínimo em que as taxas não ultrapassam 1% do valor investido.

Caso 1 – Aportes Mensais

Nesse caso vamos ver qual o valor mínimo necessário para investir realizando aportes mensais com apenas uma operação de compra por mês.

Pesquisei entre as diversas corretoras online qual delas tinha o menor preço de taxa de custódia e para realizar uma operação por mês. Você pode, é claro, conferir o preço de todas as corretoras no nosso Guia de Corretoras.

Encontrei o menor preço mensal na corretora Socopa, em que a taxa de corretagem é de R$7, ficando o investidor isento de taxa de custódia se realizar ao menos uma operação por mês. Dessa forma, o valor mínimo para cada aporte mensal seria de R$700.

Depois de um ano o total dos aportes seria de R$8.400 ao ano e o total de taxas pagas de R$84. Considerando uma rentabilidade bruta de 10%, por exemplo, a rentabilidade líquida seria de 9%, conforme a tabela abaixo.

Rentabilidade Bruta +10% R$9.240
Rentabilidade Líquida +9% R$9.156

Veja que descontando as taxas da rentabilidade bruta a mesma caí 1% neste caso. Essa diferença sempre será de 1%, pois é o valor que definimos como perda.

Mesmo assim o preço de alguns fundos de índice está acima desse valor, mas a partir de R$700 já vale a pena investir na bolsa, considerando as taxas citadas.

A seguir veremos qual seria o investimento mínimo em uma estratégia de comprar e segurar.

Caso 2 – Comprar e Segurar

No caso anterior consideramos que o investidor compra ações regularmente, uma vez por mês. Mas e se ele só quiser comprar e segurar, ou seja, fazer uma única compra e deixar o dinheiro lá por anos ou até décadas.

Bem, nesse caso a corretora que oferece as melhores taxas, de acordo com o nosso infográfico de corretoras, é a Speed Trade, que cobra R$4,90 de corretagem e a taxa de custódia de R$6,90.

Os custos médios mensais em um ano, considerando uma operação de compra e a corretagem seriam de R$7,30. Logo, nesse caso o investimento mínimo é de R$730. Note porém, que no caso anterior o investidor precisaria investir R$700 todos os meses, e nesse caso é necessário fazer um investimento único de R$730.

Considero que esses valores são bem acessíveis, mas não permitem que o investidor tenhas muitas escolhas. Existem apenas uns poucos fundos de índice disponíveis na BM&F Bovespa e não há a possibilidade de escolher ações individuais. Felizmente existem algumas alternativas para investir na bolsa, como veremos no próximo tópico.

Alternativas de Investimento

Alternativas de Investimento

Uma alternativa à compra de fundos de índice é investir no mercado fracionário, que permite que o investidor operação ações em quantidades menores que o lote-padrão. No mercado fracionário as ações são negociadas unitariamente.

Ou seja, é possível comprar 1, 2, 7, 26, 68, ou qualquer outro número de ações desejado. Isso permite que o pequeno investidor invista no mercado de ações e ainda consiga diversificar seus investimentos.

Mas o mercado fracionário também tem suas particularidades. Ele funciona de modo independente, de modo que as ações têm cotações diferentes do mercado integral. Essas diferenças ocorrem porque no mercado fracionário as ofertas de venda costumam ser maiores do que as ofertas de compra. O volume de negociações também é bem menor, de modo que a liquidez, a facilidade de comprar e vender ações, no mercado fracionário seja menor.

Uma vantagem é que algumas corretoras oferecem taxas de corretagem menores para o mercado fracionário. Em algumas delas a corretagem fica a metade do preço para operar no mercado principal.

Por fim, peço que considere investir em fundos de índice antes de pensar em ir para o mercado fracionário por causa das suas desvantagens, já citadas.

Uma outra forma de investir é através dos clubes de investimento. Eles funcionam de forma semelhante aos fundos de investimento, só que nesse caso são os próprios investidores que gerenciam a carteira. É uma ótima forma para que pequenos investidores possam juntar seus recursos.

Para formar um clube são necessárias no mínimo três pessoas que irão abrir uma conta em conjunto em uma corretora e elaborar um estatuto para definir as regrais, tais como os tipos e modalidade de operações permitidas, investimento inicial, etc.

Conclusão

Você deverá considerar as suas condições, que podem ser diferentes das aqui apresentadas, para calcular o investimento mínimo mensal. Chegamos aqui aos valores mínimos entre R$700-R$ 730, mas é possível investir por menos se você estiver disposto a aceitar menores rentabilidades.

Considere também que cheguei a esses valores devido as taxas cobradas por uma corretora específica, que podem ser mudadas a qualquer momento. Esse valor não deve, portanto, ser escrito em pedra, mas é apenas condizente com as atuais circunstâncias.

Se você tiver pouco dinheiro no momento, você também pode juntar uma quantidade considerável de dinheiro em outro investimento, como o Tesouro Direto, e depois resgatá-lo investi-lo na bolsa.

Espero que este artigo tenha sido útil para que você entenda melhor a importância dos custos no investimento em ações e suas alternativas. Deixe um comentário abaixo se tiver qualquer dúvida.

(crédito das imagens: shutterstock.com)