Como Começar a Investir em Ações com 7 Passos Simples

Tempo de leitura: 11 minutos

Para as pessoas que nunca investiram um real antes o mercado de ações por parecer intimidador. Isso porque no investimento em ações, diferentemente do em renda fixa, os retornos não são garantidos, exigindo uma maior cautela por parte do investidor. Se você não tiver conhecimento suficiente ou controle emocional você pode perder a maioria ou até todo o dinheiro investido.

Para ajudar você, que assim como outras pessoas tem medo de começar a investir em ações, vou apresentar neste artigo um passo-a-passo de como investir os primeiros reais no mercado de ações com total segurança. Para isso tudo que você precisa fazer é seguir os 7 passos simples abaixo e começar a ganhar dinheiro. Aproveite o conteúdo.

Como Começar a Investir em Ações

Como Começar a Investir em Ações

Vamos começar vendo os 5 passos necessários para que você comece a investir no mercado de ações, mesmo que você não saiba nada sobre as técnicas de análise de ações. Para isso iremos utilizar uma estratégia de investimento passivo, em que tudo que você precisa fazer é comprar os ativos certos e esperar que eles se valorizem por 10 anos ou mais.

Dessa forma, você não precisará ficar acompanhando a situação do mercado o tempo todo e terá mais tempo sobrando para cuidar da sua vida. Mais adiante eu também irei lhe mostrar como você pode fazer para investir de forma mais “ativa”, mas por hora começaremos vendo como (e porque) montar uma reserva de emergência.

#1. Tenha uma Reserva de Emergência

A primeira coisa que você deve fazer antes de começar a investir é montar uma pequena reserva para emergências, que irá lhe proteger de qualquer eventualidade que poderá atrapalhar seus investimentos. Desse modo, você garante que não precisará vender as suas ações numa situação de emergência, na qual você poderia ter um enorme prejuízo devido as oscilações de preço das ações.

A reserva, ou fundo de emergência deve ser equivalente a pelo menos três vezes as suas despesas mensais essenciais, e deve ser mantido em um investimento conservador e de alta liquidez.

Já escrevi sobre o assunto várias vezes aqui no blog e, portanto, recomendo que dê uma olhada no artigo sobre segurança financeira para saber mais sobre como montar um fundo de emergência. Depois de formar a sua reserva, seu próximo passo será começar a poupar o dinheiro que irá investir, como veremos no próximo tópico.

#2. Junte Dinheiro

Antes de começar a investir em ações é recomendado que você tenha juntado uma quantidade razoável de dinheiro. Apesar de não haver um valor mínimo para investir em ações, recomendo que você junte cerca R$5.000,00 para começar a investir. Isso porque as taxas de corretagem e custódia podem ter um impacto muito grande na sua rentabilidade se você quiser investir com valores muito pequenos.

Uma vez que você juntou essa quantia você estará apto para começar a investir no mercado de ações, mas antes você precisará abrir uma conta em uma corretora, caso ainda não tenha uma, como veremos no tópico a seguir.

#3. Abra uma Conta em uma Corretora

Para investir em ações você precisa ter uma conta em uma corretora de valores. Você pode consultar o nosso Guia de Corretoras para encontrar as corretoras mais baratas para negociar. Lá você encontrará também uma série de informações úteis, como a explicação sobre as diferentes taxas cobradas e os critérios que você deve levar em conta na hora de escolher a sua corretora.

O infográfico é atualizado periodicamente, de modo que, talvez seja boa ideia você ver qual corretora é a melhor na categoria “1 operação de compra/venda por mês”, que é o número de operações necessário para a estratégia de investimento passivo aqui apresentada. Depois de cumprida mais essa etapa está na hora de comprar as suas primeiras ações, como veremos logo a seguir.

#4. Compre ETFs (Fundos de Índice)

A melhor forma para começar a investir em ações é através de fundos de investimento passivos. Os fundos de índice, também chamados de ETF, são fundos deste tipo, que são negociados na própria Bolsa de Valores, assim como as outras ações. Da mesma forma que os fundos de investimento “comuns”, os fundos de índice são geridos por profissionais, o que faz com que você não precise se preocupar em selecionar ações individuais, alcançando provavelmente um resultado muito melhor do que se assim fizesse.

A grande vantagem desses fundos é que você não precisa se preocupar com a diversificação, uma vez que cada fundo tem inúmeras ações, sendo por si próprio diversificado. Os fundos de índice acompanham um índice específico do mercado, de modo que, você sempre terá o retorno médio do mercado, o que para um investidor iniciante é, acredite, uma grande coisa.

Tudo que você precisa fazer é determinar quanto dinheiro quer colocar em um determinado fundo e então você está livre para continuar a tocar sua vida. Recomendo que você dê uma olhada no artigo que escrevi sobre Como Investir em Ações com Fundos de Índice para saber mais sobre essa incrível forma de investir em ações.

Dentre todos os fundos de índice existentes, os que você deve considerar na sua carteira são:

BOVA11: busca seguir o Índice Bovespa que mede o retorno das empresas que respondem por mais de 80% do volume de negócios e do volume financeiro na Bolsa de Valores. O Índice Bovespa é geralmente utilizado para rentabilidade média do mercado. Superar o Ibovespa com consistência no longo prazo não é fácil nem para alguns investidores experientes, mas com esse fundo de índice você consegue fazer isso facilmente.

PIBB11: acompanha o Índice Brasil (IBrX 100) que mede o retorno das 100 ações mais negociadas na BM&FBovespa. Assim como o BOVA11, a rentabilidade desse ETF fica sempre próxima ao retorno médio do mercado, sendo uma boa alternativa em relação ao primeiro.

SMAL11: busca seguir o índice Small Cap, das ações das empresas com os menores valores de capitalização listadas na Bolsa de Valores, cujo valor total represente, conjuntamente, 15% da soma dos valores de capitalização de todas as companhias listadas na bolsa. Esse índice costuma apresentar maiores oscilações no curto prazo, mas em contrapartida tende a ter um retorno superior aos outros índices no longo prazo.

O lote-padrão dos fundos de índice é de apenas 10 ações, diferentemente da maioria das ações que tem o lote-padrão de 100. Isso significa que o mínimo que você precisará comprar é de 10 ações por vez e seus múltiplos. Por exemplo, você pode comprar 10, 20, 50, 260 ou 420 ações, sempre de dez em dez. Assim é possível, atualmente (12/06/15) investir no BOVA11 a partir de R$520, no PIBB11 a partir de R$912 e no SMAL11 por apenas R$502.

Você poderá, portanto, comprar um pouco de cada um desses fundos de índice e então só precisa esperar e continuar a comprar mais sempre que possível, como veremos no próximo tópico.

#5. Compre Mais Sempre que Puder

Depois de ter investido o dinheiro que você juntou inicialmente você deve poupar uma parte do seu salário todos os meses para continuar comprando mais fundos de índice. Se você não conseguir juntar dinheiro suficiente para comprar o lote-padrão, guarde o dinheiro até o próximo mês, ou quantos meses forem necessários, e então faça a compra.

A compra periódica de ações faz parte da estratégia de preço médio, que consiste em comprar uma posição gradualmente, em vez de tudo de uma vez. Assim, ao invés de comprar apenas R$10.000, por exemplo, você pode fazer contribuições periódicas de, digamos R$1.000 por mês.

Dessa forma, você remove a possibilidade de comprar apenas ações quando o mercado está em seu pico, comprando-as durante os momentos de baixa. Não importando se o mercado está indo bem ou mal, você sempre investirá uma quantia fixa em ações. No longo prazo essa estratégia costuma trazer resultados muito positivos, uma vez que você estará comprando mais ações quando elas estão baratas e menos quando estão muito caras.

Atente-se apenas ao fato de que estratégia aqui apresentada viso o longo prazo, de modo que, você deve estar preparado para que suas ações fiquem no vermelho por mais de um ano. Mas isso não significa que você terá um prejuízo, pois elas deverão se recuperar. O prejuízo só é consolidado se vender os seus papéis por um preço inferior aquele que pagou por eles. Então, caso isso aconteça é só não vendê-las e aguardar o preço subir!

Como Investir em Ações Individuais

Como Investir em Ações Individuais

Sei que muitas pessoas gostariam e tem vontade de selecionar e investir em ações individuais. Porém essa não é uma boa forma de dar o primeiro passo no mercado de ações. As chances de você tomar um tombo são enormes! O melhor é começar a investir de forma passiva, com os fundos de índice, pois você terá resultados quase garantidos no longo prazo com eles. Mas, caso você queira mesmo se aventurar por esse caminho sinuoso que é o investimento em ações individuais vou lhe indicar os próximos passos que você dar nesse sentido a seguir.

#6. Aprenda Tudo que Puder Sobre Ações

Eu poderia ter incluído esse item como o número um, porque supõe-se que você deva ter algum conhecimento sobre o mercado de ações antes de começar a investir. Mas felizmente os fundos de índice removem essa necessidade, de modo que, você pode começar a investir imediatamente, mesmo se saber quase nada.

Caso você queira dar um passo além, e começar a escolher e comprar ações individuais você terá que aprender o máximo possível antes de fazê-lo. Enquanto você está acumulando dinheiro através dos seus investimentos em fundos de índice, você deve utilizar esse tempo para se educar sobre o mundo dos investimentos.

Para se tornar um bom investidor o ideal é aprender tudo o que puder antes de começar a investir. Dessa forma, você ficará “fluente” na linguagem dos investimentos antes de começar a investir dinheiro de verdade de forma mais arriscada. Para isso você precisará dedicar um bom tempo a isso, lendo livros, fazendo cursos, participando de comunidades de investidores e acessando regularmente sites sobre investimentos, como este aqui.

Uma boa maneira de se preparar é utilizando simuladores online da bolsa, tais como o FolhaInvest, que lhe permite testar as suas estratégias de investimento sem precisar comprometer o seu dinheiro de verdade. Uma vez que você aprendeu mais sobre o mundo dos investimentos você pode começar a escolher suas próprias ações, como muita cautela, como veremos no tópico abaixo.

#7. Invista em Ações Individuais Gradativamente

Quando você finalmente se sentir seguro o suficiente para escolher ações individuais, assegure-se apenas de fazê-lo gradativamente. Uma vez que você já tem uma posição significativa em fundos de índice comece investindo em uma ação por vez até compor a carteira desejada. Os investimentos nos ETFs já são altamente diversificados e irão lhe proteger do risco de investir em ações individuais, mas mesmo assim certifique-se de que as suas ações individuais não representem mais do que 10% da sua carteira de investimentos. Quando uma ação atingir esse percentual, comece a comprar outra, enquanto continua a comprar também os fundos de índice.

Conclusão

Siga esses passos e você terá os fundamentos básicos que irão lhe ajudar a começar os seus investimentos no mercado de ações. Apenas lembre-se que o investimento é um caminho, não um destino, de modo que, você precisa estar continuamente aprendendo e experimentando novas possibilidades.

Espero que este artigo tenha sido útil para você e gostaria que você deixasse um comentário aqui embaixo com suas dúvidas, elogios, sugestões ou observações.

(crédito das imagens: shutterstock.com)

  • Pedro Souza

    muito bom, mas para aqueles que não tem 5k pra começar a investir em fundos e quando os fundos de aplicação inicial de R$ 100 tem uma taxa de administração de até 2,2% (nada atrativas) começar a investis no tesouro direto e comprar ações individuais com uma média de preço entre 4 e 6 reais para compor uma carteira de 40% de ações e 60% de renda fixa já que a renda fixa vai se tornar um hedge para proteger a carteira e sempre que atingir 70/30 realizar a alocação de ativos. É uma boa estratégia para iniciar?